Páginas

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Stress - O excesso faz mal

O corpo humano é regido por diversas e incontáveis leis que se aplicam de formas diferentes para cada um. Mesmo assim conseguimos sentir e identificar que é necessário um equilíbrio entre essas leis para o bom funcionamento do nosso corpo e mente. Quando o desequilíbrio ocorre por muito tempo inúmeros problemas tanto físicos quanto psicológicos são desencadeados. Um dos efeitos desse desequilíbrio é o stress.

Profissionais de qualquer área, principalmente os que têm que lidar com grandes pressões, volumes de trabalho ou responsabilidades estão sujeitos a estes efeitos. Esses perfis podem ser encontrados mais facilmente em áreas como TI, gerência, CEO, empresários, empreendedores, etc.. Funções que exigem grande responsabilidade e consequentemente uma grande pressão são potenciais fontes de stress. De toda forma cargos que exigem uma menor carga de trabalho ou que podem ser consideradas menos estressantes podem gerar pessoas estressadas. Tudo depende da maneira como nos relacionamos com nosso trabalho.

Com o objetivo de procurar manter esse equilíbrio devemos analisar o nosso nível de satisfação nas diversas esferas de nossa vida e aprender a analisar os sinais dados por nosso corpo. Trabalhar com o que gostamos também é um ótimo meio de evitar esse stress visto que esse é o primeiro pilar de uma caminhada de sucesso.

Abaixo um vídeo com casos extremos de stress no trabalho. Convenhamos, apesar desse ser um assunto sério, o vídeo chega a ser hilário!


Work Office Stress

sábado, 9 de abril de 2011

Equipe, Liderança, Motivação, Superação

Quando você precisa passar por desafios, enxerga problemas ou soluções?

O verdadeiro líder é aquele que consegue induzir e convencer as pessoas com idéias, através de fatos e argumentos lógicos. É aquele que vê sua equipe como parceiros e não subalternos. O verdadeiro líder consegue enxergar além daquilo que os olhos percebem, ele faz do vencido um vencedor.

O vídeo abaixo é um exemplo do que vemos muito no dia a dia das cidades e até mesmo nas empresas: Um grande número de pessoas reclamando por um problema, mas poucos fazendo sua parte. Poucos são os líderes que correm atrás de uma solução antes mesmo de serem requisitados.


quarta-feira, 6 de abril de 2011

Alinhando as estratégias aos desafios de crescimento

As perspectivas da economia brasileira nos próximos anos são muito positivas. No entanto, a continua mudança dos aspectos que impulsionam o cresci­mento está modificando a dinâmica dos negócios, forçando as empresas a rever os fundamentos de sua estratégia e, consequentemente, a maneira como abordam seu mercado-alvo. Entre os principais motores do crescimento es­tão a rápida expansão da classe média, o aumento da concorrência e a interna­cionalização de empresas brasileiras.

Os novos direcionadores de mercado estão surpreendendo muitas empresas. As mudanças são evidentes: há novos players, novos produtos e serviços, no­vos formatos de lojas, produtos finan­ceiros e novas demandas por parte dos consumidores. Os modelos de negócio e as estratégias de marketing e ven­das tradicionais já não valem mais. O grande desafio é aproveitar as oportu­nidades não apenas para crescer, mas também para sustentar o crescimento.

Ao revisar sua estratégia para atuar nesse cenário em mutação, os execu­tivos devem refletir sobre alguns pon­tos. É fundamental que o lider tenha clara noção sobre quais são os princi­pais aspectos e os riscos potenciais em torno do desafio do crescimento, onde estão os riscos e quais são as compe­tências necessárias para sustentar a expansão. Também é fundamental avaliar se possuem os talentos ne­cessários para conduzir e sustentar o crescimento.
Os principais obstáculos para o crescimento podem ser divididos em:

Conjunturais: recessão, perturbações politicas, açòes regulatórias;

Estratégicos: mudanças na demanda do cliente, aquisições malsucedidas, força da marca, falha em expansão internacional e incapacidade da admi­nistração para absorver o crescimento;

Organizacionais: Escassez de talentos, estruturas de tomada de decisão deficientes, métricas de desempenho incorretas.

Porém, fica evidente que o maior obstáculo é a dificuldade em aten­der rapidamente às mudanças nas demandas dos clientes. É necessária uma perspectiva estratégica capaz de visualizar todas as alternativas possíveis para obter a participação de mercado desejada e vantagem competitiva.
Seja qual for o segmento de atuação é fundamental ter uma clara defini­ção do modelo de negócio desejado alinhado a uma nova estratégia de abordagem de mercado. Isso deve in­cluir a melhoria dos canais de vendas, integração da cadeia de suprimentos, adequação do suporte tecnológico, um bom conjunto de talentos e mensuração do retorno financeiro.

Infelizmente, o fato é que a maioria dos processos de demanda não antecipa ou detecta a necessidade dos clientes por soluções que permitam criar valor. Poucas empresas possuem as informações quantitativas e as competências necessárias para responder a questões importantes, tais como: quais os segmentos de clientes e/ou geografias que podem garantir o crescimento; quais os parâmetros mais importantes para fidelizar clientes; qual o nível de performance necessária, comparada com os concorrentes, para motivar uma mudança de comportamento dos clientes; quais as novas competências que seriam necessárias para isso.

Hoje a vantagem competitiva é obtida por meio de uma profunda compreensão das relações de causa e efeito entre o serviço ao cliente, a eficácia da integração operacional, o modelo do canal de vendas e o retomo financeiro para os participantes. Em alguns casos, isso irá representar a diferença entre o sucesso e o fracasso nos próximos anos.

Fonte: CEO Brasil – 20 , Sachin Mehta, especialista em estratégia e CRM.