Páginas

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Persistência e Perseverança

Para muitas pessoas não é clara a diferença entre ser persistente e perseverante, mas ela existe e pode ser uma das explicações para o sucesso ou fracasso de profissionais na atualidade.
Segundo Villela da Matta, Presidente da Sociedade Brasileira de Coaching (SBC), a persistência pode ser entendida como ‘’fazer mais do mesmo para alcançar um resultado’’, o que pode ser ruim ou bom dependendo da situação.
Para se aprender uma nova língua ou se fazer um bom trabalho o profissional deve ser persistente. Este é o lado bom da persistência. O lado ruim aparece quando se quer algo novo e continua-se trilhando o mesmo caminho.
Isso pode ser entendido também como insanidade. ‘’Quando o profissional deseja mais, mas continua persistindo na forma como realiza o trabalho, já que está trilhando caminhos que não estão trazendo resultados.’’
A Perseverança e o Sucesso
Segundo o presidente da SBC, ‘’o perseverante é flexível, porque busca mais soluções para atingir os seus objetivos.Ele tem mais possibilidade de chegar ao resultado porque busca alternativas. Isso é fundamental porque o sucesso não é atingido num primeiro momento”.
Ele usou a Teoria de Darwin sobre a evolução das espécies para ilustrar a diferença de persistentes e perseverantes e como isso está relacionado ao sucesso. “A Teoria de Darwin diz que a espécie que tiver maior número de opções para interagir vai dominar o sistema”.
Isso significa que a pessoa que tiver mais opções de caminhos a trilhar também pode atingir mais rapidamente aquilo que deseja. “Uma pessoa mais persistente não atinge resultado, ou não vai se perpetuar, porque não vai dominar o sistema”.
O Tempo é vilão
Questionado sobre se ser persistente ou perseverante está relacionado ao perfil de uma pessoa, Matta afirmou que não. Para ele, existe uma tendência de os profissionais serem mais conservadores ou persistentes, com o passar do tempo. À medida que eles ganham experiências e vão tendo resultados positivos, mais insistentes ficam.
“Quando o ser humano vai envelhecendo, ele se liga a padrões passados, mas o mundo muda e é preciso ter novas abordagens”, explicou, completando que, ao contrário disso, o jovem é cada vez mais disposto a conhecer o novo.
Para reverter essa tendência natural, Matta afirmou que a pessoa deve se questionar sobre qual a meta na carreira e o caminho que está usando para atingi-la. “Se o profissional não sabe aonde quer chegar, não importa ser persistente ou perseverante, porque não conseguirá saber se está avançando”, finalizou.

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Sistema Lean e sua aplicação no gerenciamento de projetos.

Primeiramente podemos entender projeto como um esforço temporário empreendido com um objetivo pré-estabelecido, definido e claro. Tem início, meio e fim definidos, duração e recursos limitados, numa seqüência de atividades relacionada.
O termo Lean é relacionado com um processo genérico de gerenciamento derivado do sistema Toyota de produção. Lean significa principalmente eliminar desperdícios ou atividades que não acrescentam valor numa linha de produção ou em qualquer outro processo. Na medida em que não se gera desperdício ou atividades sem valor, a eficiência é maior, os custos são menores e a satisfação do cliente (em tese) é maior.
A implantação da filosofia Lean passa pelo seguinte método:
  • Definir o que é valor para o processo em questão.
  • Identificar o fluxo de criação de valor
  • Eliminar os desperdícios na criação de valor
  • Produzir apenas aquilo que é demandado
  • Aplicar uma filosofia de melhoria contínua
Esse tipo de metodologia é bem adequada para produção de coisas, especialmente em processos de manufatura. Fazer projetos é diferente de uma manufatura. Manufatura é um processo repetitivo ao passo que o projeto é algo único. Mas é possível fazer um paralelo de equivalência com aquilo que as melhores práticas de gerenciamento de projetos recomendam:
  • Definir o que é valor equivale a definir o escopo com clareza, especialmente a especificação do escopo a ser produzido, de forma a atender as necessidades do cliente e evitando o que os americanos chama de Goldplating (“Dourar a pílula”. Entregar mais do que o necessário).
  • Identificar o fluxo de criação de valor equivale a fazer um bom planejamento executivo, criando uma estratégia de execução do projeto que seja a melhor possível.
  • Eliminar os desperdicios na criação de valor equivale a fazer uma boa execução do projeto, com especial atenção para as questões de qualidade.
  • Produzir apenas aquilo que é demandado equivale a fazer certo, da primeira vez aquilo que está especificado no escopo (e certificar-se de que a definição do escopo está clara tanto em termos quantitativos quanto qualitativos).
  • Aplicar uma filosofia de melhoria contínua equivale a definir no plano de qualidade um plano de melhoria contínua.
Como se pode verificar, a filosofia Lean e a as recomendações das melhores práticas de gestão de projetos não são assim tão diferentes.