Páginas

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Thoughts #1


Ao fazer planos mire bem alto, tão alto quanto a Lua.
Não se preocupe com seus erros, mantenha o foco nos objetivos.
No fim das contas, na pior das hipóteses, estará entre as estrelas.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

A arte de abrir portas


Em nossa vida portas são fases ou estágios  de evolução. Assim como cada porta tem sua ‘’fechadura’’, na vida essas portas tem as maneiras corretas de serem abertas e fechadas.
Ao abrir as portas de maneira correta, um novo horizonte é colocado a nossa frente.  A busca por metas e objetivos sempre remete a abertura de portas, onde muitas vezes ao inovar conseguimos um outro caminho.
Como a vida é feita de decisões, frequentemente temos mais de uma porta a escolher.
Ao encontrar uma porta, poderá abri-la ou não. Caso abra, poderá ou não entrar em uma nova sala. Para entrar, terá que vencer a dúvida, o titubeio ou o medo. Se vencer, você deu um grande passo: nesta sala vive-se.
Mas também tem um preço: são inúmeras as outras portas descobertas. O grande segredo é saber quando e qual a porta deve ser aberta. A vida não é rigorosa: ela propicia erros e acertos. Os erros podem ser transformados em acertos, quando, com eles, se  aprende. Não existe a segurança do acerto eterno.
A vida é generosa: a cada sala em que se vive, descobre-se outras tantas  portas. A vida enriquece a quem se arrisca a abrir novas portas. Ela privilegia quem descobre seus segredos, e generosamente oferece  afortunadas portas.
Mas a vida também pode ser dura e severa: Ao não ultrapassar a  porta,  terá sempre a mesma porta pela sua frente. É a repetição perante a criação, a monotonia cromática perante o arco-íris
Para a vida, as portas não são obstáculos, mas diferentes passagens.
Compreender isso facilita nosso caminho.